Notícias

Closing Call

Ibovespa bate novo recorde em dia de forte volume de negociações

Na quarta-feira marcada pelo vencimento de opções no índice, a festa foi dos comprados. Em dia que estabeleceu novo recorde nominal, o Ibovespa fechou acima dos 114 mil pontos, aos 114.314 mil pontos (+1,51%) com extraordinário volume financeiro de R$ 79,6 bilhões.

Além da notícia ventilada por Davi Alcolumbre, de que a comissão de parlamentares deve se reunir durante o recesso, agilizando o texto da Reforma Tributária, contribuiu também, a sempre empolgante fala de Paulo Guedes que se mostrou mais confiante do que nunca, em uma recuperação econômica mais expressiva em 2020.

A cereja do bolo foi a parte em que Guedes, afastou a possibilidade de retorno do imposto sobre transações financeiras. O ministro também reafirmou o compromisso para com a diminuição da dívida pública e projetou mais uma vez, a economia de R$ 1 trilhão aos cofres da União com a aprovação da reforma previdenciária.

A bolsa paulista ignorou o cenário internacional, incluindo as bolsas de Nova Iorque e a efervescência política em torno do início da votação do impeachment de Donald Trump na Câmara, reforçando o discurso do ex-presidente do Banco Central, Ilan Goldfjan: A festa é boa, mas a festa é nossa. Dow Jones, -0,09%, S&P 500, -0,04%, e Nasdaq, +0,05%. (recorde histórico de 8.827 pontos).
A fala de Guedes, deu mais um empurrãozinho aos bancos (ao garantir a aposentadoria da CPMF), que novamente foram destaque no pregão de hoje: Banco do Brasil ON subiu 3,60%, Bradesco ON, +3,50%, Bradesco PN, +2,93%, a R$ 35,84, Itaú, +1,55% e Santander, +3,23%.

Outro destaque foi a Petrobras PN (+2,21%) e ON (+2,47%), animada com a futura venda da participação do BNDES na estatal.

No topo do ranking diário, a Qualicorp ON (+4,60%), que avançou após o Itaú ter adquirido 5,13% de suas ações e a JBS ON (+3,56%), beneficiada pela fala de Gustavo Montezano, confirmando a venda de ações da companhia.

Engie ON (+5,03%) se recuperou das quedas de ontem.

A Marfrig ON liderou as quedas (-4,11%), após a precificação de seu follow on a R$ 10.

  • Share: