Notícias

Closing Call

Fase I da Trade War alivia mercados e Ibovespa renova máxima histórica

Acabou a novela? A confirmação da finalização do acordo entre EUA X China, agora também por parte dos orientais, foi a grande notícia da semana, quiçá do ano. Ainda que dependa de uma “revisão legal” e divulgação de maiores detalhes, o acordo além de trazer alívio imediato para os mercados, tende a cumprir um importante papel de aumento na confiança dos agentes financeiro de todo o mundo e de acelerar economias que apontam sinais de recuperação, como é o nosso caso.

A maneira confusa como se seu o acordo, resume bem o sentimento de todos em relação as arrastadas negociações: chatice em doses homeopáticas. Sempre é bom lembrar que em se tratando da dupla Trump e Xi Jimping, ninguém dormirá tranquilo até ver tudo devidamente no papel.

A dimensão desta notícia ofuscou completamente uma semana que, em situações normais de temperatura e pressão, ganharia destaque por abrigar as reuniões de Fed e COPOM, que apenas cumpriram tabela na quarta-feira.

Aqui, após ter batido a mínima em R$ 4,0761, o dólar fechou em alta de 0,34%, cotado a R$ 4,1076. Os investidores ficaram otimistas, pero no mucho, talvez preferindo dosar o otimismo, em doses homeopáticas, a exemplo das autoridades de Washington e Pequim: S&P 500 (+0,01%), Nasdaq (+0,20), Dow Jones (+0,12%).

Já o Ibovespa (+0,33), 112.564) teve de “segurar o tcham”, com a confirmação do BNDES em vender suas ações da Petrobras PN (-3,20%) e Petrobras ON, (-4,69%), ainda assi, o clima de “sextou” nas bolsas trouxe um incrível volume financeiro de R$ 25,8 bilhões.

O que torceu o nariz do mercado, foi a decisão do BNDES em realizar esta operação justamente na véspera do exercício de opções, na segunda-feira (16).

O banco confirmou que também venderá sua participação em Marfrig (-0,55%) correspondente a R$ 2 bilhões a partir da semana que vem e o mesmo vale, para a metade de sua fatia na JBS (+1,54) na ordem de R$ 8 bilhões.

Entre as varejistas, após cair mais de 3% ontem, a Via Varejo (+8,70%) se recuperou, minimizando a notícia de fraude contábil com o mercado apostando que o impacto dos números apresentados não trarão maiores problemas ao caixa da companhia. A Magazine Luiza (+2,59%) avançou com o anúncio da participação de 21% de market share no mercado on-line em 2019.

As exportadoras de commodities, é claro, responderam de forma positiva à notícia do acordo na Trade War: CSN (+0,57%), Gerdau (+3,24%) e Vale (+1,53%).

  • Share: